O Futuro e “Os Jetsons”

Blog - O Futuro e os jetsons-01

por Valerie Brosseau

No contexto do progresso altamente relevante que a tecnologia vem sofrendo, é fácil olhar para trás sobre o que anteriormente esperamos do futuro. Uma boa forma de comparação entre nossas expectativas e a realidade é a análise da cultura popular. Filmes, TV e literatura muitas vezes preveem ou sonham sobre o que o futuro irá trazer em termos de tecnologia. E, desta forma, podemos olhar para trás em mídias publicadas e criadas anos atrás para ver se cumprimos as previsões.

Uma escolha óbvia para este tipo de exercício é o desenho animado dos anos 1960 “Os Jetsons“. Este desenho divertido e atraente encontrou um lugar no coração das gerações e tornou-se uma maneira encantadora de pensar sobre o futuro e como ele seria. Criado por Hanna Barbera e exibido pela primeira vez em 23 de setembro de 1962, “Os Jetsons” tem agora 55 anos. O show foi concebido durante a era da Space Race, quando houve um forte impulso para ser o líder em capacidade de voo espacial. Isso é evidente nos avanços tecnológicos aparentemente exagerados que a família Jetson vive todos os dias.

Mas realmente esse mundo é tão exagerado assim? Podemos olhar para trás sobre as principais características da vida diária da família Jetsons e compará-las com o que está disponível hoje. Um exemplo disto é a personagem Rosie, a empregada robô da família. Os robôs disponíveis para nós hoje podem não ter tanta personalidade ao ponto de serem consideradas parte da família, mas eles existem. O robô Asimo da Honda é um bom exemplo, sendo o robô mais avançado até hoje. Ele é capaz de caminhar, falar e interagir com humanos. Há também hotéis no Japão e na Califórnia usando robôs como mordomos e operários. E, claro, um pouco mais mundano, mas bastante práticos, são robôs de limpeza como o Roomba.

Provavelmente a forma mais preditiva de tecnologia que ajuda os Jetsons em suas atividades diárias é o uso onipresente de telas e dispositivos de comunicação. Neste mundo, a conexão constante e instantânea que eles têm um com o outro por meio de dispositivos de comunicação é bastante parecida com a tecnologia que temos hoje. O desenho previu o Skype e o Facetime, com o uso onipresente da comunicação de vídeo em uma variedade de equipamentos diferentes. Nosso mundo móvel de informação e comunicação se assemelha a muitas maneiras pelas quais os Jetsons consomem informações. Relógios exibindo vídeos, tablets apresentando as últimas notícias; em 2017, isso certamente parece familiar. Poderíamos até dizer que superamos a previsão do desenho em termos de dispositivos móveis e de comunicação, que passaram a ser parte fundamental de nossas vidas.

Vários aspectos tecnológicos do desenho ainda não estão disponíveis para nós, como viagens espaciais para a lua e carros voadores. Porém, o que é mais notável sobre “Os Jetsons” é o uso mais rotineiro da tecnologia e quanto isso se assemelha muito aos nossos hábitos hoje.