O AMANHÃ HOJE

Blog - O AMANHÃ HOJE-01

por Leandro Freitas

Já parou para pensar sobre viver no futuro que esperamos? Sempre se ouviu falar que o Brasil está atrasado tecnologicamente em relação a países como Japão, Estados Unidos, Dinamarca, entre outros, e isso é fato.

Observando a contribuição desses países, vemos claramente que vivemos um  futuro muito, muito promissor. Se você duvida, aqui alguns exemplos:

1 – A empresa Waverly Labs criou um kit de “fones de ouvidos” que traduzem em tempo real o que você ouve, disponível até o momento em inglês, francês, português, espanhol e italiano.

Após  visitar o site (http://www.waverlylabs.com/pilot-translation-kit/), você vai se perguntar sobre qual a necessidade de estudar um novo idioma.

2 – A Universidade da Califórnia esta desenvolvendo uma nanopartícula anticancerígena chamada nanoporphyrin, que é capaz de diagnosticar e tratar tumores sem agredir o paciente.

A notícia foi divulgada pelo portal Olhar Digital (http://olhardigital.uol.com.br/noticia/cientistas-usam-nanotecnologia-para-tentar-curar-cancer/43793).

Com estas informações, entendemos que se comparamos o avanço tecnológico desses países com o do Brasil, certamente teremos a impressão de estarmos no passado. Isso tem o lado bom e o lado ruim.

Focando no lado bom, mesmo porque o lado ruim não interessa a ninguém, se olharmos para fora do Brasil nos vemos no futuro. E se olharmos especificamente para lugares como os Estados Unidos, a Singularity University, e/ou o Vale do Silício, nos deparamos com um futuro inimaginável para os nossos padrões e isso é fantástico, pois podemos utilizar essa observação do futuro para antecipar e nos posicionarmos quanto aos acontecimentos que um dia serão realidade no Brasil.

Olhando para fora, nos deparamos com teorias, técnicas, procedimentos, planos de negócios, tendências já validadas e testadas, podendo utilizá-las e incorporá-las à realidade brasileira com o nosso tão famoso “jeitinho”, me refiro aqui ao nosso jeitinho de assumir riscos, de nos aventurar em lugares inexplorados e, com isso, desenvolver mercados antes inimagináveis para a nossa realidade.

É esse o futuro que está bem diante dos nossos olhos. Com o foco certo, conseguiremos antecipar e criar tendências, criar novos mercados e aplicá-los aqui em terras tupiniquins.